Hoje trazemos-te um prato forte. Uma ilha que possui características próprias de um continente, pela variedade das suas paisagens e pela singularidade e riqueza da sua fauna e flora. Uma ilha que é uma maravilha natural da evolução. Uma ilha que se separou da África há milhões de anos atrás para viajar à deriva entre raízes africanas, asiáticas, árabes e polinésias. Uma ilha onde um comboio atravessa a selva através do nevoeiro. A ilha dos gigantes baobás e do reino camaleão.

A ilha vermelha, Madagáscar.

Se as paisagens e a sua biodiversidade fazem com que Madagáscar te entre pelos olhos dentro e te deixe recordações gravadas na memória, os malgaxes fazem com que esta terra ganhe para sempre um cantinho no teu coração. E é que o verdadeiro tesouro de Madagáscar é o seu povo, os malgaxes.

Bem-vindo a este roteiro através de Madagáscar, um país onde vais descobrir paisagens verdadeiramente surpreendentes. Um itinerário pelo qual estamos convencidos que te vais apaixonar. Um roteiro que te vai deixar uma porta aberta para voltar. Contrata já o teu seguro de viagens online e parte à aventura

Sem demoras, que comece o roteiro de 15 dias por Madagáscar!

Roteiro de viagem de 15 dias em Madagáscar

populaçao de madagascarAntes de mais, queremos dizer-te que neste roteiro por Madagáscar te vamos propor viajar tanto de transporte local como em carros alugados, e acreditamos que o transporte público em Madagáscar, apesar de ser desconfortável, merece a pena ser experimentado.

O táxi-brousse, é uma carrinha ou mini-bus no qual os malgaxes se deslocam de cidade em cidade no seu dia-a-dia. É o transporte público por excelência dos malgaxes e uma oportunidade muito boa para conhecer os locais, já que acreditamos que a melhor opção para conhecer um país é através do seu povo.

Embora muitos de seus habitantes não falem francês, não te esqueças que Madagáscar era uma colónia francesa até 1960. Eles vão conversar contigo, olhar para ti, sorrir-te e até te vão colocar os filhos no colo durante as viagens de táxi.

Dia 1 – Chegada em Antananarivo e deslocação para Fianarantsoa.

Uma vez em “Tana”, que é o nome que os malgaxes dão a Antananarivo, devemos dirigi-nos de manhã cedo até à caótica gare-routière de Fasan’ny Karana.

Cada povoação tem a sua gare-routière, a partir de onde saem os táxi-brousse. Não te stresses quando vires que, mesmo antes de o teu táxi chegar à gare-routière, os vendedores que querem que viajes com eles, começarão a correr ao teu lado. Talvez no início aches esta técnica de venda um pouco angustiante, mas não te preocupes, com o passar dos dias, vais começar a divertir-te com este “ritual” de vendas. O nosso conselho é que vás diretamente aos postos que encontras na gare-routière, já que é aqui onde os preços fixos estão expostos.

Depois de 12 horas, dependendo do teu táxi-brousse, chegarás a Fianarantsoa, ​​no coração das Terras Altas Malgaxes.

Dia 2 – Parque Nacional de Ranomafana.

O Parque Nacional de Ranomafana é um dos lugares que te recomendamos se quiseres ver fauna e flora endémicas, quedas de água e muito mais no mesmo dia.

Aqui existem 12 espécies de lémures, 29 espécies de mamíferos, 100 espécies de aves, 62 espécies de répteis, 90 espécies de borboletas e 350 espécies de aranhas. Não precisamos de te dizer que, durante o teu roteiro por Madagáscar, vais encontrar com toda a certeza alguma destas espécies.

A taxa de entrada é de 55.000 Ar, cerca de 16€ por pessoa, e o percurso é feito com um guia que foi formado anteriormente neste mesmo parque. Para terminar, se além de tudo isto, te dissermos que 50% do dinheiro da tua entrada vai para projetos das comunidades locais, entenderás porque é que o Parque Nacional de Ranomafana deve estar, sim ou sim, no teu roteiro por Madagáscar.

Dia 3 – A Reserva de Anja e Ambalavao.

Ambalavao tem fama de ser uma das mais belas aldeias malgaxes. Esta localidade das terras altas malgaxes tem um toque colonial que perdurou com o passar do tempo, misturando-se com a cultura dos Betsileo, o grupo étnico maioritário desta zona.

Uma das principais atrações de Ambalavao é o seu famoso mercado semanal de zebu. Os pastores, que viajam longas distâncias para vender as suas cabeças de gado, chegam a este evento e é uma oportunidade para viajantes como tu passearem por este curioso mercado.

A poucos quilómetros de Ambalavao encontramos a Reserva de Anja. Esta reserva é uma iniciativa local nascida com o objetivo de preservar a fauna e flora do local e que é autogerida pelas pessoas da aldeia. Só por isto, já vale a pena incluí-la no teu roteiro através de Madagáscar.

Madagáscar sofre de uma brutal desflorestação que já devastou 90% da massa florestal original. Iniciativas como essa não só melhoram a consciencialização das pessoas, como também ajudam a tornar este mundo num lugar melhor.

Além disso, aqui o avistamento de lémures de cauda anelada é assegurado, pois na Reserva de Anja vivem cerca de 300 famílias desses primatas.

anja ambalabao madagascar

Dia 4 – Deslocação para Ranohira

As distâncias em Madagáscar e o mora-mora (com calma) do povo malgaxe significam que passarás dias na estrada. Mas as horas de viagem de táxi-brousse compensarão com as subidas e descidas dos malgaxes que entram e saem da carrinha.

Se tudo correr bem, e o teu transporte não sofrer nenhum contratempo, chegarás a Ranohira à tarde e poderás aproveitar o resto do dia para conhecer as imediações.

Dia 5 – Parque Nacional Isalo e viagem até Toliara.

Isalo é o parque nacional mais visitado do país e oferece uma grande variedade de opções de caminhadas para o poderes explorar. As vistas do Desfiladeiros de Namaza são espetaculares, mas os banhos que podes tomar nas piscinas naturais que estão na bacia do rio que o atravessa, achamos que são ainda mais espetaculares.

Desfiladeiros, vales, terras áridas, cascatas, piscinas naturais, florestas tropicais, lémures, camaleões … Que mais precisas que te digamos para que graves este lugar a ferro e fogo no teu roteiro por Madagáscar?

Entre Ranohira a Toliara, são cerca de 6 horas de viagem. Se tudo correr bem, na hora do almoço terás terminado o teu trekking por Isalo, o que te permitirá viajar para Toliara. Para este tramo, aconselhamos que escolhas a opção do carro particular que pode ser conseguido no hotel e assim evitar contratempos. O preço é de cerca de 70.000 Ar por pessoa, aproximadamente 20 euros.

isalo em madagascar

Dia 6 – De Toliara a Anakao, o paraíso malgaxe.

Desde o Blue Bar de Toliara partem lanchas que te levam ao paraíso: Anakao. Aqui poderás desfrutar de praias com águas cristalinas, excursões a pequenas ilhas ou um recife de coral.

Anakao é uma pequena aldeia que, como tantas outras aldeias da costa de Madagáscar, vive entregada ao mar. Aqui as praias são dos malgaxes, que desde de manhã cedo passam o dia a pescar e a carregar peixe. Os homens entram no mar com os seus barcos, os jovens carregam os baldes de peixe e os idosos e as mulheres separam-nos. Enquanto isso, as crianças brincam com os pequenos caranguejos e os camarões que vão encontrando.

Um espetáculo que te convidamos a conhecer.

praia de anakao em madagascar

Dia 7 – Nosy Ve, a ilha dos piratas.

A dois quilómetros da costa de Anakao, encontramos a ilha de Nosy Ve. Uma ilha que foi frequentada por piratas nos tempos antigos, e que agora é um prazer visitar e mergulhar no recife de coral que atravessa esta zona. Outra maravilha natural são as praias desta pequena ilha onde, dizem as lendas locais, foi enterrado um velho príncipe.

Ao voltar poderás dar um passeio tranquilo pelas praias de Anakao, onde certamente serás “convidado” a comer lagosta por algum dos locais.

praia tipica de madagascar

Dia 8 – Deslocação para Toliara e viagem até Fianarantsoa.

Outro dia na estrada no teu roteiro de viagem por Madagáscar. Desta vez também te aconselhamos a que o faças num carro particular, pois é uma viagem que demorará todo o dia e fazê-la em táxi-brousse pode ser bastante chato. Depois da tua chegada a Toliara nos barcos que partem de Anakao, e já com o hotel e carro previamente reservados, sairás em direção a “Fiana”.

Nestes trajetos, tanto em táxi-brousse como em carro alugado, é bastante comum parar para almoçar nos hotelys, um tipo de bares e restaurantes que podemos encontrar em todas as aldeias. São muito baratos, estão cheios de gente local e geralmente, come-se arroz com peixe, zebu ou vegetais. Uma coisa é certa, não deves julgar os pratos que te servem pela aparência, porque são deliciosos!

Dia 9 – O Comboio da Selva, um tesouro da era colonial.

Desde Fianarantsoa parte um comboio. Um comboio que começa a funcionar com os primeiros raios do sol em direção à floresta mais virgem do país, o Corredor Leste de Madagáscar. Um comboio de origem colonial, que outrora serviu os franceses e que hoje os malgaxes usam para o seu comércio e transporte.

É um trajeto para alucinar desde a janela. Campos de arroz, pequenas aldeias onde te podes perder no meio de mercados ambulantes improvisados, antigas estações onde um mar de sacos e malas que se movem no meio de um caos controlado, rios que transbordam de água, cascatas … Tudo isto rodeado por uma paisagem verde que se estende por vales e montanhas…

E, embora a tua viagem possa durar das 8h às 18h, sem dúvida alguma que esta viagem de comboio será uma das melhores experiências que terás no teu roteiro por Madagáscar. As sensações que levarás deste comboio compensarão todas as horas de fadiga.

O comboio deixar-te-á em Manakara, onde ficarás até ao dia seguinte.

comboio pela selva de madagascar

Dia 10 – De Manakara a Fianarantsoa.

Mais um dia para aproveitar o transporte dos malgaxes. O táxi-brousse para “Fiana” sai às 8 horas da manhã e às 15h estarás no teu destino.

Durante a tarde podes subir até à Catedral de St. Nom de Jésus Ambozontany, desde onde conseguirás ter excelentes vistas da cidade de Fianarantsoa.

Dia 11 – Fianarantsoa a Antsirabe, a aldeia mais fria de Madagáscar.

Mais táxi-brousse! Neste momento, já deves ser um especialista em percorrer as gare-routières e este começa a ser o teu transporte favorito. Já tens umas quantas anedotas que contar e conheces melhor a cultura malgaxe.

Este percurso demorará o dia todo, então relaxa até chegares a Antsirabe, que é o elo entre as Terras Altas e as estradas que nos levam para o oeste. Como vais chegar durante a tarde, aproveita a oportunidade para passear por esta aldeia tão tranquila, mas leva um casaco porque à tarde costuma refrescar um pouco. Tem a fama de ser a aldeia mais fria de Madagáscar.

Dia 12 – A Avenida dos Baobás.

Imagina um lugar onde as luzes do pôr-do-sol fazem com que o céu expluda em tons vermelhos, laranjas, lilases e rosas. Enquanto isso, as gigantescas sombras dos baobás aparecem recortadas no horizonte através do qual o sol desce e no céu, as primeiras estrelas começam a cintilar.

Este é o espetáculo que pode ser visto na Avenida dos Baobás. É que Madagáscar é o reino do Baobá. Das 8 espécies de baobás do mundo, seis delas só são encontradas aqui em Madagáscar. Nem que seja só por isso, já vale a pena ir, não achas?

Desde Antsirabe até à Avenida dos Baobás, que fica nos arredores de Morondava, há outro dia de viagem que pode ser feito de táxi-brousse ou de carro alugado. Aconselhamos-te a optar pela segunda opção, porque apesar de vires do ponto mais frio da ilha, vais passar para um dos mais quentes e a viagem de táxi-brousse pode ser um pouco mais sufocante do que o habitual.

avenida dos baobabs madagascar

Dia 12 – Morondava e o Parque Nacional dos Tsingy.

Morondava é uma aldeia costeira localizada a oeste de Madagáscar, conhecida principalmente pela sua Avenida dos Baobás, que é visitada anualmente por muitos turistas que viajam por Madagáscar. É por isso que é considerada um lugar de passagem entre a Avenida de los Baobás e o Parque Nacional dos Tsingy.

O Parque Nacional dos Tsingy é outra das principais atrações turísticas do país. Estas formações rochosas pontiagudas são únicas no mundo. Para visitar este parque também é necessário fazê-lo com um guia, mas asseguramos-te que vale a pena fazer este trekking que atravessa pontes suspensas e vias ferratas.

Dia 13 – Morondava e as praias dos malgaxes

Em Morondava entenderás porque dizemos que as praias de Madagáscar pertencem aos habitantes locais. Têm um encanto especial e não precisas de andar muito na praia para os veres a trabalhar com o peixe. Há também um mangal por onde poderás navegar em canoa em excursões que percorrem os seus muitos meandros que levam a praias de areias brancas.

Esta aldeia à beira-mar é o lugar ideal para relaxar nos últimos dias do teu roteiro de 15 dias por Madagáscar antes de fazeres o caminho de volta a casa.

Dia 14 – Retorno a Antsirabe com uma breve paragem em Miandrivazo.

Se já sabias que Antsirabe era conhecida como a aldeia mais fria do país, assim que puseres os pés em Miandrivazo, saberás porque é conhecida como a aldeia mais quente.

Como em toda a área de Morondava, em direção ao oeste, o calor é sufocante, mas aqui em Miandrivazo as temperaturas atingem números ainda mais altos. É um bom ponto para parar e refrescar-se com uma boa cerveja a meio caminho de Antsirabe.

Podes também fazer este trajeto de táxi-brousse ou de carro alugado. O que desde aqui recomendamos é que faças o caminho do oeste de carro alugado, desta forma não terás nenhum contratempo durante estes três dias.

Dia 15 – Antananarivo e voltar para casa

De manhã podes apanhar um táxi-brousse desde a gare-routière de Antsirabe e em cerca de 4 horas estarás na gare-routière de Fasan’ny Karana, em “Tana”. Sim, aquela estação barulhenta que conheceste no princípio da tua viagem e que ao chegar te deu respeito e na qual agora te mexes como um peixe dentro de água.

Ao chegar aqui, e como os voos costumam ser só à noite, tens duas opções: a primeira é visitar Tana e ver lugares como o Palácio da Rainha, embora, honestamente, em “Tana” não haja muito para ver.

A segunda opção é visitar o Yamuna ONGD. Esta ONG sediada em Barcelona, ​​trabalha com crianças e mulheres em risco de exclusão social em Vontovorona, uma cidade que fica a 20 minutos de Tana à qual poderás chegar em táxi por 20.000Ar (aproximadamente 6 euros).

Avisamos-te que, se até agora ainda não te tinhas apaixonado pelo país, acabará por acontecer em Yamuna ONGD. Se chegares com mais dias, recomendamos que termines a tua viagem aqui.

Antananarivo em madagascar

Esperamos que este roteiro de viagem por Madagáscar em 15 dias que preparamos te tenha sido útil e que vás a correr preparar a mochila para explorares a ilha vermelha!

Madagáscar é um país que te irá cativar com as suas paisagens e que te fará apaixonar-te pelos seus sorrisos. Para que esse sorriso não se apague do teu rosto, não te esqueças de contratar um bom seguro médico internacional que te cubra para qualquer imprevisto.

 

Alguns artigos do nosso blog que te poderão ajudar a preparar a viagem:

Artigo traduzido por Susana Almeida

Conteúdo Relacionado