A Tailândia é um país com uma cultura muito rica, paisagens de cortar a respiração, um povo muito acolhedor e bondoso. Uma gastronomia deliciosa, uma mistura de cheiros e uma panóplia de cores capazes de conquistar qualquer um à “primeira vista”.

Apesar de tantas coisas boas, é um país com uma cultura, língua, escrita e religião muito diferentes daquilo que estamos habituados. Por isso, hoje trazemos-te um guia de coisas que deves saber antes de preparares a tua viagem. E antes de viajares não te esqueças do teu seguro de viagens! Para o Sudeste Asiático recomendamos o seguro IATI Standard!

Bangkok na tailandia

10 coisas que precisas de saber antes de viajar para a Tailândia

 

1. Visto

Os cidadãos portugueses não precisam de visto prévio para entrar na Tailândia. O visto é concedido on arrival por um oficial do controlo de imigração, seja a entrada no país de forma terrestre ou aérea.

Por norma, em entradas aéreas o visto tem uma validade de 30 dias de permanência no país e, em entradas terrestres, a validade é de 15 dias. Para além disto, o passaporte deverá ter uma validade mínima de 6 meses.

Se pretendes ficar mais de 30 dias na Tailândia, deverás renovar o visto através do pagamento de uma taxa ou então poderás simplesmente sair e voltar a entrar no país para que o visto seja renovado.

2. Língua

A língua oficial da Tailândia é o tailandês, porém não é um entrave à comunicação. A maior parte da população fala inglês, principalmente aqueles que estão diretamente ligados ao turismo. Assim, não há motivo de preocupação uma vez que mesmo quem não domina a língua universal, irá sempre fazer um esforço para tentar compreender e ajudar, mesmo que seja necessário recorrer à comunicação através de gestos.

3. Religião

monge budista a rezar em frente a varias estatuasA religião predominante na Tailândia é o Budismo, sendo que cerca de 95% da população se assume como Budista. Neste sentido, quando viajares para a Tailândia façaz por respeitar as tradições, regras e costumes dos Tailandeses. Por exemplo, quando visitares os templos não mostres os ombros, joelhos, barriga e nunca entres calçado.

Nunca apontes os pés para a imagem de Buda, já que estes são considerados por eles a parte mais suja do corpo humano. Nunca toques nos monges e quando quiseres tirar fotografias junto deles, as mulheres deverão sentar-se ao lado do monge e os homens podem ficar de pé ao seu lado.

Por fim, não compres nem tatues a imagem de Buda, há diversos avisos espalhados pelo país, principalmente nas atrações turísticas, relembrando que esses actos são considerados desrespeitosos para com a população e religião da Tailândia.

4. Moeda

A moeda oficial da Tailândia é o baht, que vale cerca de 0,027€. As casas de câmbio são os locais aconselhados para trocares dinheiro e não são difíceis de encontrar. Os bancos também são uma hipótese, contudo as taxas não são tão interessantes.

Se optares por levantar dinheiro ser-te-á cobrada uma taxa de 220 baht (cerca de 6€) independentemente da quantia levantada. As caixas ATM estão também espalhadas por todo o país, excetuando zonas rurais onde são mais complicadas de encontrar.

5. Custos

dançarinas na tailandia

De uma forma geral, a Tailândia é um país barato mas tudo depende do tipo de turismo que pretende fazer. Se fores um turista económico e com um bugdet a cumprir, 10€ por dia (excluindo estadia) é mais que suficiente.

Se fores do tipo de turista que quer aproveitar ao máximo as férias e não abrir mão de nada, obviamente o budget diário será bem maior. Uma refeição barata tailandesa custa entre 40 a 60 baht mas pode ir até aos 150 baht, no caso de escolheres uma refeição mais elaborada.

Uma refeição western food pode custar entre 250 a 350 baht, uma garrafa de água de 0,50cl custa 7 baht e 10 baht se for comprada na rua.

O trajeto Chiang Mai – Bangkok tem um custo médio de 700 baht, alugar uma scooter 125c custa entre 150 a 250 baht.

Alugar um quarto para duas pessoas num hostel/guest house barato ronda uns 15€ por noite sendo que um quarto num hotel de média categoria poderá ultrapassar os 30€ por noite.

6. Segurança

A Tailândia é um país extremamente seguro para se viajar de forma independente, mesmo mulheres a viajar sozinhas. A hospitalidade, bondade e generosidade dos tailandeses faz deste um destino tranquilo onde, regra geral, se pode confiar nas pessoas estejam elas ligadas ao turismo ou não.

Contudo, é sempre importante estarmos prevenidos para qualquer tipo de “banhada” ao turista. Algumas dicas que deverás considerar são: nunca andar com muito dinheiro na rua e ter uma fotocópia do passaporte ao invés do passaporte real.

7. Melhor época do ano para visitar a Tailândia

dois barcos numa praia tailandesa num dia solarengoO clima na Tailândia, geralmente, é quente e húmido. Porém, devido às monções existem épocas do ano em que a chuva pode dificultar a vida de um turista.

As monções na Tailândia dividem-se em duas épocas conforme a região. Na costa oeste, onde estão Bangkok, Chiang Mai, Phuket, Koh Phi Phi e Krabi, chove de abril a outubro.

Na costa leste, onde estão Koh Samui, Koh Tao, Koh Phangan, Surat Thani, chove de setembro a dezembro.

8. Transportes

vários tipos de transportes no trânsito da tailandiaSão diversas as opções de transporte na Tailândia.

Em Banguecoque, o mais recomendado será usar a aplicação GRAB (muito semelhante ao UBER), isto porque os taxistas para além de se recusarem a ligar o taxímetro, geralmente cobram preços muito acima do que é realmente justo e por vezes nem sabem onde fica o destino em questão.

O metro e o skytrain também são excelentes opções uma vez que percorrem toda a cidade, excetuando a zona antiga de Banguecoque (onde está a famosa Khao San Road). Os tuk tuks são opção de transporte mais divertida mas também mais cara, é preciso negociar muito para conseguir um preço justo. Ainda tens a opção dos autocarros locais e dos barcos existentes nos canais, que não se revela tão prático em casos de “tempo contado”. Dá uma vista de olhos ao nosso artigo sobre o que ver em Banguecoque e fica com uma ideia de onde estão localizadas as principais atrações para decidires qual o melhor meio de transporte

Já em Chiang Mai não existe metro nem skytrain, mas o GRAB continua a ser uma excelente opção. Para além disso, ainda existem as red trucks que percorrem toda a Old City por 30 baht/pessoa (de um ponto ao outro) e ainda os tuk tuk’s.

Na zona das praias, as únicas opções são os tuk tuk’s que podem ser privados ou partilhados e o preço aqui para além de ser muito mais alto do que nas cidades mencionadas anteriormente, deverá ser negociado para que seja mais justo.

9. Alimentação

prato de comida tailandesa com pauzinhos ao fundo

A gastronomia tailandesa destaca-se por ser um misto entre o doce e o picante (extremamente picante). A base da alimentação dos tailandeses, à semelhança do que se verifica em toda a Ásia, é o arroz e a massa. As frutas e verduras também são um complemento muito importante e presente na alimentação tailandesa, bem como o frango, porco e pato.

Os pratos típicos mais conhecidos da cozinha tailandesa e que conseguirás encontrar em qualquer restaurante e/ou barraquinha de street food são: o famoso pad thai – que consiste numa massa de arroz, geralmente acompanhada com muitos legumes e uma proteína à escolha, salteado no wok com molho de peixe e soja; o igualmente conhecido fried rice – arroz salteado no wok com legumes e uma proteína à escolha; a extremamente picante tom yang – uma sopa com peixe, camarão, legumes, muitos temperos e especiarias e uma boa dose de picante Tailandês; gaeng daeng ou caril vermelho consiste numa mistura de leite de coco, carne e pasta de caril vermelho, com um toque de folhas de lima por cima; khao soi um prato típico da Tailândia, em particular do Norte do país, portanto, se visitares Chiang Mai verás muitas mais vezes este prato em barraquinhas de street food. Consiste num prato composto por pedaços de porco ou galinha que são cozinhados em leite de coco com caril. O caldo daqui resultante é deitado por cima de noodles de ovo e coberto com verduras, rebentos e noodles crocantes.

A gastronomia tailandesa tem tantos outros pratos muito típicos e igualmente deliciosos, e não há nada como os experimentares todos para conseguires escolher o preferido.

10. Cuidados de Saúde

Este deve ser o tópico que mais preocupa um viajante na preparação da viagem. Há muitos casos de intoxicações alimentares, diarreias, febres, alergias, entre outros. Porém, se forem tomadas algumas precauções no dia-a-dia estes casos podem ser evitados.

Bebe apenas água engarrafada. Cuidado com as experiências na comida de rua, deves verificar o aspecto da comida, se a comida foi confeccionada ali e normalmente, quando tem muitos clientes, é porque não há problema. Cuidado com os bichos, especialmente os escorpiões que vendem na rua, não sabes onde foi confeccionado.

Precauções contra os mosquitos também são importantes uma vez que há alguns focos de dengue na Tailândia, pelo que o uso de repelente é aconselhado, principalmente após o pôr do sol.

No caso de uma diarreia aguda podes optar por ir a uma farmácia e explicar a situação ou então ir ao hospital que eles saberão como a melhor forma de a tratar. Este é um daqueles casos nos quais a contratação de um seguro de viagem é de extrema importância devido aos exorbitantes custos das despesas médicas – uma consulta num hospital tailandês custa em média 200€.

Antes de visitares a Tailândia, e relembrando os focos de dengue dos quais falamos antes, não t esqueças de ver quais as vacinas obrigatórias e aconselhadas para viajares com tranquilidade pelo Sudeste Asiático.

 

Autor: Yoan Santos

Conteúdo Relacionado