Desde os locais que visitamos, às pessoas que conhecemos, aos sabores que experimentamos e até aos imprevistos (que ajudamos a resolver!) – tudo nos transforma. A viagem obriga-nos a pensar de forma diferente, a encarar novas realidades, soluções e outros caminhos.

Dizem-nos que a viagem nos faz crescer. E a IATI seguros de viagens online está aqui para te ajudar a solucionar imprevistos!

rapariga com mochila as costas olha para o horizonte

As viagens desenvolvem soft skills?

Entre os 5 continentes, 193 países (segundo as conta da ONU), existem milhares de possibilidades para abraçar, que te farão crescer. A viagem torna-nos contadores de histórias, vemos o mundo com os nossos próprios olhos, falamos com locais, sentimos diferentes realidades e é isso que nos desafia. No fundo, viajar é desafiares-te constantemente. E atenção, não falamos de saltar de paraquedas ou andar à boleia, cada um sabe onde começa a sua zona de “desconforto”.

Esta questão da zona de conforto ou “desconforto” é cada vez mais discutida. O gap year pode ser uma solução importante neste passo para o crescimento pessoal. Mas afinal o que é o gap year? É uma pausa em movimento, isto é, uma rutura no percurso escolar dito “normal”, em que se pode envolver com as mais variadas atividades. Desde voluntariado, viagem, estágios, … – as opções são muitas, no fundo, o sucesso do gap year só depende de quem o faz. Em Portugal existe uma associação – a Gap Year Portugal – que apoia todos os jovens que o queiram fazer, através de um acompanhamento personalizado e passagem de dicas.

turistas passeiam pela khao san road
Através dessas experiências, desenvolveres as conhecidas “soft skills”. Desde resiliência, autonomia, capacidade de encontrar soluções, criatividade, foco em objetivos, adaptação e negociação – estas são algumas das soft skills que vos vamos apresentar hoje. Mas porque são estas competências tão importantes?

O mercado de trabalho está sobrecarregado. E entre algoritmos e robôs, as competências humanas sobressaem-se. Se surgir uma máquina avariar, não será a própria máquina a corrigir; se for preciso criar uma grande campanha criativa, não será um algoritmo a pensar fora da caixa; se for necessário reunir uma equipa multicultural, não será um robô a adaptar-se. É aqui que entramos nós!

turistas no brasil
Temos o poder de nos diferenciarmos, mas cabe-nos a nós próprios desenvolver esse poder. Hoje deixamos-te alguns exemplos de soft skills que poderás desenvolver em viagem:

1| Resiliência

Em gap year não existem problemas, existem soluções. Este deve ser o mindset em viagem e especialmente em gap year. Durante um período de descoberta pessoal e do mundo, é normal que nos confrontemos com situações inesperadas, é aí que a tua resiliência deve entrar em ação.

Desde o autocarro que perdemos por pouco, o passaporte que não encontramos por nada e tantos outros imprevistos. Este é o momento para pensares em soluções, novos caminhos e percursos alternativos. E podemos garantir, quantas mais vezes testares a tua resiliência, começas a encontrar mais alternativas e menos “bicho de sete cabeças”.

mulher de camisa branca tira fotos desde um barco às montanhas2| Adaptação

De país em país, de cultura em cultura, assim anda um viajante. Cada fronteira que se cruza é também uma nova oportunidade de aprendizagem: desde a gastronomia, a tradições culturais.

A adaptação é uma competência cada vez mais reconhecida e importante, já que atualmente as equipas são multiculturais e é essencial que nos consigamos adaptar a diferentes backgrounds.

3| Capacidade de comunicação

De inglês, francês, árabe e outras línguas do mundo, vais ter de conseguir comunicar, mesmo sem ser fluente. Nestes casos, em que a comunicação é mais difícil, a linguagem mímica impera! Apesar de haver gestos com diferentes interpretações (a que deves ter cuidado e pesquisar antes de ires), há muitos outros que são gerais e te vão ajudar a encontrar o que estás à procura.

turistas apoiados na janela do comboio a tirar fotos

4| Tomada de decisão

Chegou o momento de decidir. Em viagem as decisões são constantes e maior parte tem consequências rápidas: ir para o país x ou ficar aqui por mais tempo? Aceitar esta boleia? Ficar neste hostel ou no outro?

Em gap year a capacidade de tomada de decisão é uma das competências que mais podes desenvolver e que pode ter mais impacto no futuro. A viagem é um ótimo treino para ganhar mais confiança a tomar decisões e não tremer sempre que uma decisão importante se aproxima. Este é o momento para pôr em prática e conseguir enfrentar as decisões com êxito!

Ainda com dúvidas de como a viagem pode ser uma aprendizagem?
Deixamos-te um desafio: abraça as experiências e cresce com elas.

 

Autor: Gap Year Portugal

Conteúdo Relacionado