Muitos dos viajantes que participam em atividades com animais, não têm ideia do sofrimento que está por detrás daquela atração e simplesmente querem conhecer e explorar um pouco mais de perto a vida selvagem.

Na IATI Seguros, lider em seguros de viagem online, vamos tentar dar-te a conhecer um pouco mais desta realidade e algumas precauções a tomar.

turistas montados em elefante em Ayutthaya

O turismo e os animais: atrações a evitar

Quando desenvolvido de forma responsável e sustentável, o turismo, pode ser benéfico para o ambiente e a natureza. No caso dos animais, o lucro proveniente de certo tipo de atividades pode ajudar reservas e parques naturais a preservar e proteger algumas espécies.

Por outro lado, algumas atividades e atrações turísticas que envolvem animais são vistas única e exclusivamente como fonte de rendimento, fazendo com que os animais sejam considerados o meio para o sucesso e a sua liberdade e qualidade de vida sejam postas em causa.

Elefantes

turistas a andar de elefante em Ayutthaya

Apesar de parecerem dóceis, serenos e tranquilos mesmo quando estão  ser montados, os elefantes são um animal de grande porte difícil de controlar. Assim sendo, são, maioritariamente, capturados ilegalmente e retirados às mães com pouco tempo de vida de forma a serem domesticados o mais precocemente possível. Em países como a Tailândia esta é uma atração muito conhecida e por isso o número de elefantes cativados é, ainda maior. Se gostarias de ter contacto com elefantes durante a tua viagem, investiga o historial e missão do santuário em questão e certifica-te que não é permitido que os visitantes montem os elefantes.

Tigres

tigre acorrentado num templo de banguecoque

Muitas vezes utilizados para uma fotografia de recordação, encontram-se numa jaula toda a sua vida e são submetidos a alterações no corpo de forma a evitar acidentes com humanos (as garras e os dentes mais afiados são removidos). Para além disso, encontram-se muitas vezes drogados para que as pessoas possam tocá-los sem perigo.

Cobras

Muitas vezes capturadas da selva, são torturadas e as suas glândulas venenosas removidas de forma a participarem em espetáculos de encantamento. Recomendamos a que não tires fotos ou pares na rua para alimentar e dar atenção a esta atividade.

Civetas

civeta acorrentado numa jaula

O Kopi Luwak ou café de civeta, famoso na Indonésia, é dos cafés mais caros do mundo e é produzido através de grãos de café extraídos das fezes das civetas. Os animais são, em muitos casos, capturados e mantidos em jaulas pequenas para que posteriormente os grãos sejam vendidos nas quintas e internacionalmente. A alternativa passa por procurar produtores locais que recolhem as fezes diretamente do habitat natural dos animais sem as capturarem.

Golfinhos

golfinho numa piscina com fundo amarelo

Os golfinhos são frequentemente encontrados em parques aquáticos e aparentam ser felizes e bem tratados uma vez que durante os espetáculos os vemos ser alimentados. Contudo, em vários casos, o alimento só é facultado se o golfinho desempenhar a atividade exigida, para além disso não têm o espaço suficiente para mergulharem e se protegerem dos raios ultravioleta e o tratamento da água da piscina (cloro) é prejudicial à sua saúde. Se gostarias mesmo de vê-los de perto, existem excursões que te levam ao seu habitat natural (respeitando o seu espaço e com uma interferência mínima ou inexistente na sua rotina).

Tubarões-baleia

Em muitos locais que oferecem esta atividade, os tubarões-baleia são alimentados frequentemente (durante todos os dias do ano) alterando a sua rota migratória e consequentemente o ecossistema a que pertencem. Temos disponível um post inteiro sobre este tema para que possas saber mais sobre esta realidade e as suas consequências.

Se vais viajar em breve e gostavas de interagir com animais sem contribuir para o seu sofrimento, não penses, com o nosso post, que não é possível. Com a pesquisa necessária e as informações corretas podes encontrar centros, santuários e parques naturais que realmente têm como objetivo a proteção das espécies. Tenta descobrir sempre de que forma é que a intervenção e o trabalho do sítio ou excursão em questão condiciona a vida dos animais para que possas entender se a influência é positiva ou negativa comparadamente ao seu habitat natural. E lembra-te, tu como viajante também deves estar protegido, não te esqueças do teu seguro Iati.

Conteúdo Relacionado