Chegou o momento de te preparares para essa grande viagem pela América do Sul e, pouco a pouco, começas a ter tudo pronto. Já tens mais ou menos decidido o que vais levar na bagagem, já reservaste os bilhetes de avião, planeaste o teu roteiro e contrataste o teu seguro de viagem internacional para estares coberto em qualquer imprevisto. Agora, é hora de apanhar as vacinas necessárias para viajar para a América do Sul. Neste artigo vamos dizer-te quais são as mais recomendadas para visitar os principais países nesta área do mundo.

Que vacinas preciso viajar para a América do Sul?

vacinas recomendadas para a america do sul

Neste artigo encontrarás uma lista dos países mais visitados da América do Sul e as vacinas recomendadas para viajar para cada um deles com segurança.

Usa esta informação como um guia para preparar a tua viagem, mas não te esqueças que deves perguntar ao teu médico quais são as vacinas que precisas, de acordo com o teu historial médico. Em função deste histórico, das vacinas que já apanhaste e do estado atual do país que vais visitar, as vacinas necessárias poderão variar.

Vacinas para viajar para a Argentina

– Vacinas obrigatórias para viajar para a Argentina:

A vacina contra a Febre Amarela é obrigatória para viajar para a Argentina se estiveste nos últimos 12 meses em algum país onde a doença é endémica.

– Vacinas recomendadas para viajar para a Argentina:

Hepatite A, Tétano/Difteria, VASPR, Febre Tifoide, Hepatite B e Pneumocócica para determinadas áreas.

Vacinas para viajar para a Bolívia

– Vacinas obrigatórias para viajar para a Bolívia:

A vacina contra a Febre Amarela é obrigatória se estiveste nos últimos 12 meses em algum país onde a doença é endémica.

– Vacinas recomendadas para viajar pela Bolívia:

Hepatite A, VASPR, Tétano/Difteria, Febre Tifoide, Raiva, Cólera, Meningite

vacinas obrigatorias america do sul

Vacinas para viajar para o Brasil

– Vacinas obrigatórias para viajar para ao Brasil:

Em grande parte do país a Febre Amarela é uma doença endémica, pelo que terás de te vacinar tanto antes de ires como ao voltares ao teu país de origem.

– Vacinas recomendadas para viajar ao Brasil:

Hepatite A, Hepatite B, Febre Tifoide, Meningite, Tétano/Difteria, Raiva.

Vacinas para viajar para o Chile

– Vacinas obrigatórias para viajar para o Chile:

Não há vacinas obrigatórias para viajar para o Chile

– Vacinas recomendadas para viajar ao Chile:

Hepatite A, Hepatite B, Tétano/Difteria.

Vacinas para viajar para a Colômbia

– Vacinas obrigatórias para viajar para a Colômbia:

Além de a vacina contra a Febre Amarela ser obrigatória se estiveste num país onde a doença é endémica durante os últimos 12 meses, é altamente recomendável tomá-la se vais passar por: Vale do Rio Magdalena, Chocoano, Urabá, Orinoquia e a Sierra Nevada de Santa Marta.

– Vacinas recomendadas para viajar para a Colômbia:

Hepatite A, Hepatite B, Cólera, Raiva, Tétano/Difteria, Meningite e Febre Tifoide.

Vacinas para viajar para o Equador

– Vacinas obrigatórias para viajar para o Equador:

Atualmente não há vacinas obrigatórias para viajar para o Equador

– Vacinas recomendadas para viajar para o Equador:

Hepatite A, Hepatite B, Febre Tifoide, Meningite, Tétano/Difteria, Raiva. Embora não seja obrigatória, a vacina contra a febre amarela é altamente recomendada se planeias visitar áreas como Morona, Napo, Pastaza, Zamora ou Orellana.

vacinas obrigatorias equador

Vacinas para viajar ao Peru

– Vacinas obrigatórias para viajar ao Peru:

Não há vacinas obrigatórias para viajar para o Peru. Se visitares a região amazónica do país, a vacina contra a febre amarela é altamente recomendada.

– Vacinas recomendadas para viajar para o Peru:

Hepatite A, Hepatite B, VASPR, Tétano/Difteria.

Vacinas para viajar para o Uruguai

– Vacinas obrigatórias para viajar para o Uruguai:

Apenas a vacina da febre amarela para aqueles que vêm de países onde esta doença é endémica.

– Vacinas recomendadas para viajar ao Uruguai:

Tétano/Difteria, Viral Triplo e Hepatite A.

Informações sobre as vacinas de viagens mais comuns para a América do Sul

Cólera: Vacina recomendada principalmente para aqueles que planeiam visitar áreas rurais. Na maioria de rotas pelos pontos turísticos de um país não é necessária.

Febre amarela: A febre amarela é geralmente obrigatória apenas para os viajantes que estiveram em países com risco de a contrair durante os últimos 12 meses. Da mesma forma, na América do Sul ainda há lugares onde está presente. Certifica-te de dar informações detalhadas sobre a rota da tua viagem no centro de vacinação, para que ta possam dar, caso seja necessário.

Encefalite Japonesa: Esta doença é contraída através da picadura de um mosquito, muito presente nos pântanos e em zonas como os arrozais. Para além da vacina, é recomendável levar uma boa dose de repelente de insetos.

Raiva: Embora em menor grau do que no sudeste da Ásia, existem muitos cães vadios na América do Sul que são portadores desta doença. Também poderás contrair esta doença pela mordida de um macaco em zonas como a Amazónia.

Hepatite A e B: A vacina contra a Hepatite B está presente no calendário comum de vacinação da maioria dos países. Esta doença é contraída através de água e comida em mau estado. Além disso, a hepatite A é transmitida por contacto sexual ou com sangue, e por esse motivo o seu contágio é muito menos comum.

Tétano: Também incluída nas vacinas básicas que são geralmente fornecidas de uma maneira comum. Esta doença espalha-se geralmente através de cortes ou de material oxidado.

vacinas recomendadas viagem colombia

Este guia sobre as vacinas necessárias e recomendadas para viajar para a América do Sul vai ajudar-te nas tuas próximas viagens a este subcontinente. Não te esqueças que, para teres proteção máxima e viajares totalmente tranquilo, também é necessário teres um bom seguro médico de viagem. O IATI Mochileiro é um dos favoritos dos viajantes que partem para descobrir esta parte do mundo. Além de ter uma cobertura muito maior do que a da grande maioria dos seguros de viagem, também te cobrem desportos de aventura e mergulho.

 

Artigo traduzido por Susana Almeida

Conteúdo Relacionado