O gap year é, cada vez mais, uma prática comum em países como a Austrália, Reino Unido, Alemanha ou Estados Unidos, especialmente em jovens que acabaram de sair do secundário. Estão indecisos quanto ao seu percurso escolar, querem conhecer mais mundo e ter experiências distintas que não poderiam ter de outra forma. Mas afinal de contas, o que é um gap year?

Um gap year (em português, ano sabático) é um período de intervalo no percurso dito tradicional, por norma realizado entre o ensino secundário e o ensino universitário, mas pode ser feito em qualquer momento da tua vida. É uma rutura no quotidiano, um ano de pausa em movimento, no qual podes fazer aquilo que quiseres. Sim, tudo o que quiseres.

pessoa sentada no topo de uma montanha a contemplar o horizonte

Uma pausa em movimento

Acreditamos que um gap year é como um bilhete de identidade; cada um tem o seu. Não há nenhuma fórmula ou pacotes predefinidos; és tu quem cria o teu gap year. Podes aproveitar esta pausa para tomar decisões mais conscientes sobre o teu futuro, para conheceres mais do mundo e sobre ti próprio. Podes viajar, fazer voluntariado, experimentar cursos, aprender novos idiomas ou ter experiências profissionais. Tu escolhes! Pensa no gap year como a oportunidade de ter vivências que não poderias ter se não decidisses quebrar a rotina.

O planeamento faz parte da experiência mas, por vezes, surgem imprevistos e situações difíceis de controlar. O importante é focar-nos nas oportunidades e nas soluções, não nos problemas. É aí que entram os seguros online da IATI com assistência dentro e fora de Portugal.

 

A importância de fazer um gap year

Desde pequenos que somos advertidos para a importância dos estudos. Durante 12 anos pedem-nos que sejamos focados, que tenhamos boas notas porque só assim é que vamos conseguir entrar numa universidade à nossa escolha e, por fim, ter o trabalho com o qual sempre sonhámos. Esta visão não está errada. Não há dúvida de que a escola nos dá uma bagagem crucial para o nosso desenvolvimento académico e profissional, mas há determinadas competências que não são o foco do sistema de ensino.

 

O desenvolvimento pessoal de um indivíduo é igualmente importante e o gap year pode ajudar-te nisso! Neste ano de rutura, podes focar-te na expansão das tuas competências e habilidades, nos teus objetivos pessoais, nos teus sonhos. É o momento ideal para te conheceres melhor, perceber do que é que gostas e do que é que realmente queres.

maos sobre escada vermelha em direção ao ceuNão há pressa

Às vezes temos a sensação de que tudo acontece muito depressa. Não há muito tempo para pensar: saímos do ensino secundário diretos para a universidade, e da universidade para o mercado de trabalho.

Com apenas 17 ou 18 anos pedem-nos para escolher um rumo, um curso que vai delinear o nosso futuro profissional. A pressão de decidir “o resto da nossa vida”, leva-nos a escolher algo que, muitas vezes, não é verdadeiramente aquilo que mais nos apaixona. Mas afinal, como é que pode um jovem tomar a decisão correta com esta idade? Para alguns, a resposta poder ser óbvia, mas não é o mesmo caso para todos.

Prova disso é a taxa de desistência de cursos universitários: 29% desistem logo no primeiro ano, segundo um estudo da Direção-Geral de Estatística da Educação e Ciência (DGEEC). As razões? Muitos jovens sentem-se desmotivados ao aperceber-se de que as perceções que tinham do curso estavam erradas e, a grande maioria, chega à conclusão de que tomou uma decisão precipitada. “Afinal não era bem isto que eu queria”.

grande muralha chinesa a serpentear pelas montanhasO caminho a seguir é uma decisão que não devemos tomar de ânimo leve. Deve ser bem ponderada. A pressão e as incertezas tomam conta de nós nos momentos que mais clareza exigem. Contudo, é importante esclarecer que estas escolhas não nos definem enquanto pessoas e que estamos sempre a tempo de mudar. O mundo está constantemente em transformação e nós também! Por esse motivo, é crucial estar ciente daquilo que gostamos e ter os nossos objetivos claros.

Em vez de te lançares para o mundo universitário assoberbado de incertezas, vê no gap year a oportunidade de aclarar a mente. Durante esta pausa, podes envolver-te em experiências que te permitam desempenhar diferentes papéis: experiências profissionais, estágios, voluntariado, work exchange, entre outras. Esta é das maiores vantagens do gap year: ser quem tu queres ser e descobrir-te.

mochila e acessorios de viagem colocados no chao

O gap year não é uma receita mágica que vai solucionar todos os teus problemas, mas pode ser o ponto de partida para a resposta a muitas das tuas dúvidas e incertezas. Certamente vai despoletar em ti características e qualidades que desconhecias, vai abrir os teus horizontes, vai dar histórias para contar, vai aumentar a tua inteligência emocional, trazer conhecimento sobre outras culturas e, acima de tudo, sobre ti mesmo. Em Portugal, existe uma associação – Gap Year Portugal – cujo objetivo é ajudar e apoiar todos os jovens que queiram fazer um gap year. Se te sentes pronto para o desafio, entra em contacto com eles!

Autores: Gap Year Portugal

Conteúdo Relacionado