Estás a pensar em viajar de avião em tempo de Coronavírus? Após o pico da crise global causada pelo vírus Covid-19, e graças à sensibilização e a medidas como o distanciamento social, estamos gradualmente a aproximar-nos da “nova normalidade”. Restaurantes, museus, praias e locais de entretenimento começam gradualmente a abrir as suas portas e, obviamente, a indústria das viagens está também finalmente a começar a recuperar.

Com tantas e tão rápidas mudanças no que até agora era a nossa vida quotidiana, sob a forma de medidas de saúde e segurança, é muito provável que te perguntes: será que se pode viajar de avião neste momento? É seguro? Que medidas devo tomar se viajar de avião este Verão? Como sempre, aqui na IATI, líderes na venda de seguros de viagem online, queremos facilitar-te as coisas e preparámos este guia completo com as principais recomendações da AESA (Agência Europeia para a Segurança da Aviação), os conhecimentos do comandante Juan Lladó e algumas notícias interessantes que mostram como o sector da aviação está a evoluir após o Coronavírus.

mulher de mascara espera num aeroporto

Viajar de avião durante o Coronavirus

Agora que a possibilidade de viajar pela Europa este verão começa a ser uma realidade, temos a certeza que este guia te vai ajudar a decidir e a fazer as malas novamente para continuares a desfrutar das tuas viagens.

Antes de voar

Embora a maioria das medidas relativas aos voos durante a pandemia se refiram ao próprio voo, existem também conselhos e recomendações que várias autoridades estão a começar a aplicar gradualmente.

Em casa, antes de ir para o aeroporto para apanhar o voo

A AESA, no seu documento de recomendações de segurança relativas ao Coronavírus para as viagens aéreas, salienta vários aspectos importantes.

Por um lado, recomenda que as companhias aéreas alterem a data dos bilhetes gratuitamente até 6 horas antes, para os viajantes que tenham possíveis sintomas de coronavírus antes de voar. Desta forma, oferecendo a possibilidade sem custos de adiar a viagem, pretende-se facilitar as coisas ao viajante no caso de este ter dúvidas sobre o seu estado de saúde e não colocar outros passageiros em risco.

Além disso, tanto a AESA como várias companhias aéreas pedem que os passageiros tentem minimizar ao máximo a bagagem de cabina, ou até evitá-la completamente, se possível. Esta medida ajudaria, por um lado, a facilitar tanto o embarque como o desembarque (mais rápido porque há menos malas), e também a ajudar os passageiros a permanecerem nos seus lugares durante toda a viagem sem terem de se levantar para aceder às suas malas ou mochilas.

Finalmente, e para te facilitar as coisas quando chegares ao aeroporto, podes fazer o check-in online sempre que possível e descarregar o cartão de embarque no teu telemóvel, evitando assim teres de o imprimir e levantar no aeroporto.

Medidas no aeroporto antes de voar, durante a época dos coronavírus

É neste ponto da tua viagem onde provavelmente começarás a notar as mudanças nas viagens de avião durante a pandemia, porque é aqui que encontrarás as primeiras diferenças no modo de viajar.

Medição da temperatura

Embora a AESA também o proponha no seu documento de acção recomendado, muitos aeroportos em todo o mundo, como o de Singapura, já implementaram esta medida há vários meses. Utilizando câmaras termográficas de segurança, é possível medir instantaneamente a temperatura dos passageiros e agir em conformidade em caso de febre.

Hoje em dia, estes controlos de temperatura são cada vez mais visíveis nos principais aeroportos. As autoridades aeronáuticas europeias recomendam que este processo tenha lugar na porta de entrada do terminal e constitua a primeira medida de segurança obrigatória. Se a temperatura exceder os 38ºC, o viajante deve ser encaminhado para os cuidados médicos.

Além disso, como dupla medida de segurança, propõe-se também que este controlo seja repetido antes de sair do aeroporto de destino.

tripulaçao da emirates com mascaras

Teste rápido de coronavírus

Para além das diferentes medidas e propostas oficiais, diferentes companhias aéreas estão a acrescentar os seus próprios controlos ou orientações de segurança. É o caso, por exemplo, da Emirates, que desde o dia 15 de Abril tem vindo a realizar testes rápidos Covid-19 que, em 10 minutos, nos dão o resultado. Outras companhias aéreas e aeroportos estão também a considerar a possibilidade de aderir a este tipo de medidas ou, na sua falta e dada a pouca fiabilidade de alguns testes, solicitar um documento médico oficial emitido nas últimas 72 horas que certifique que o passageiro não está infectado.

Embarques sem aglomerações

Se és uma daquelas pessoas que acha que não há necessidade de correr e esperar de pé numa fila com centenas de pessoas quando o embarque começa, estás com sorte. Agora o embarque será feito em grupos muito mais pequenos para tentar preservar a distância social máxima em todos os momentos. A entrada no avião será feita de forma escalonada por zonas de lugares sentados e com mais espaço entre grupos do que o que existe actualmente.

Neste sentido, a AESA sugere que, nos casos em que seja necessário viajar de autocarro desde a porta de embarque até ao avião, sejam feitas mais viagens, mas com menos passageiros.

Será mais lento, sim, mas, desta forma, as hipóteses de contágio diminuirão drasticamente.

Aeroportos mais higiénicos

Os aeroportos estão também a acrescentar gradualmente novas medidas e protocolos centrados na higienização e na protecção, incluindo a melhoria dos seus sistemas de ventilação. Quando lá chegares, verás que muitas companhias aéreas já têm ecrãs de segurança nos seus balcões de check-in, a limpeza em geral é muito mais constante e são utilizados produtos focados na desinfecção. Pontos chave como os tabuleiros onde deixamos as nossas coisas durante o controlo de segurança, ou os cintos de recolha de bagagem, são constantemente higienizados.

Alguns aeroportos, como Hong Kong, começaram mesmo a incorporar cabines de desinfecção nas quais um processo robótico limpa, desinfecta e aplica um revestimento antimicrobiano, por enquanto apenas ao pessoal de saúde.

cabine desinfeçao aeroporto hong kong

Medidas durante os voos em tempo de coronavírus

Todos nós, que já estamos a planear as nossas próximas viagens, tivemos dúvidas sobre como seria regressar aos aeroportos, mas, acima de tudo, como seria viajar de avião em tempos de Coronavírus.

Coronavírus: É seguro viajar de avião na situação actual?

Segundo o comandante Juan Lladó, graças a todas as medidas tomadas antes, durante e após o voo, é mais seguro viajar de avião neste momento do que de comboio, autocarro ou metro, no que se refere ao covid-19.

Nos pontos que se seguem, vamos falar de todas as medidas que estão a ser tomadas no interior dos aviões para tornar os voos ainda mais seguros.

Ar limpo no interior dos aviões

Um dos principais receios que podem surgir quando se voa num avião neste momento é o facto de se estar num espaço fechado com tantas pessoas e durante tantas horas. O ar que se respira durante o voo é seguro?

O Comandante Lladó tranquiliza-nos e fala-nos dos filtros HEPA, um sistema de renovação do ar utilizado pela grande maioria dos aviões. Obtêm ar do exterior, onde a soma da altitude + temperatura + pressão torna impossível a existência do coronavírus, e mistura-o com o ar do interior da aeronave depois de o passar por um filtro que retém 99% das partículas do tamanho do covid-19 e outros vírus e bactérias. Isso torna, nas palavras de Lladó, o ar ainda mais seguro do que o de um bloco operatório.

Cada secção do sistema HEPA cobre entre 5 e 7 filas de assentos, trazendo o ar para cima e para baixo e renovando 100% do ar do avião a cada 2-3 minutos.

Máscaras obrigatórias quando se voa durante um surto de coronavírus

Embora a filtragem HEPA proporcione uma enorme segurança em termos de fluxo de ar durante o voo, não seria de todo eficaz no caso de um passageiro que está contagiado tossir ou falar perto de nós. É por isso que é agora obrigatório o uso de máscara durante todo o voo.

Neste caso, as máscaras do tipo N95 e FFP2 podem ser utilizadas continuamente, mas em caso de um voo longo e da utilização de uma máscara cirúrgica, é necessário descartá-la e mudá-la de 4 em 4 horas.

varios itens de bagagem incluindo luvas e mascaras

Voos mais minimalistas

Outra mudança que rapidamente notarás quando estiveres sentado no teu voo durante um surto de coronavírus é a ausência de muitas coisas às que já estavas habituado. Em voos de menos de quatro horas, as almofadas, mantas e comida extra desaparecem.

No resto, os alimentos são servidos em caixas unipessoais e de utilização única, com tendência para produtos embalados.

Tanto em voos longos como curtos durante a pandemia de coronavírus, não vais encontrar as clássicas revistas em frente ao teu lugar ou o documento que informa sobre as medidas de segurança do avião. Quanto menos coisas toques, mais seguro estarás.

Mais informação sobre os voos em tempos de Coronavirus

A partir de agora, ao clássico momento em que a tripulação do avião explica as medidas de segurança relativas a aspectos como saídas de emergência, protocolos de evacuação ou cintos de segurança, serão também acrescentadas as medidas sanitárias.

Antes da descolagem, a tripulação falará sobre as regras e sugestões que deves ter em conta para protegeres a tua saúde e a dos outros ocupantes da aeronave.

Sobre este ponto, a AESA não hesita em recomendar a expulsão de quem não cumpra estas regras, que são concebidas para o bem de todos.

Assentos separados para voar depois do coronavírus, sim ou não?

Quando as pessoas começaram a falar em poder viajar de avião após a crise do coronavírus, uma das primeiras medidas que foram tomadas foi deixar lugares vazios entre os passageiros. Pouco tempo depois, várias companhias aéreas começaram a deixar claro que seria economicamente inviável continuar com estes voos e que, como consequência, os preços dos bilhetes poderiam disparar.

Graças às diferentes medidas tomadas que já comentamos ao longo deste guia “Viajar de avião em tempos de Coronavírus”, as autoridades aeronáuticas e diferentes peritos afirmam que é seguro voar sem esta distância no avião.

Mesmo assim, a grande maioria das companhias aéreas assegura que, enquanto o número de passageiros nos aviões o permitir, proporcionarão este espaço entre passageiros de forma totalmente gratuita. Ao mesmo tempo, nas últimas semanas, surgiram diferentes propostas sobre este assunto, como a possibilidade de instalar pequenas divisórias entre os viajantes à altura da cabeça.

Tripulação preparada para a excepcionalidade do coronavírus

Evidentemente, a tripulação da aeronave é a primeira a cumprir todos estes regulamentos. Por isso, durante algum tempo terás de te habituar a vê-los a usar luvas e máscaras de protecção. Empresas como a Emirates deram mais um passo em frente e forneceram às suas tripulações vestidos descartáveis que são usados por cima dos seus fatos oficiais e viseiras protectoras para cobrir os olhos.

Antes, durante e depois dos voos, os aviões serão desinfectados, com especial atenção aos locais utilizados pelos passageiros, tais como casas de banho, apoios de braços ou tabuleiros suplementares de cada lugar.

mulher com mascara, mala, passaporte e mapa pronta para viajar

Outros dados interessantes sobre a segurança de voar num avião neste momento

Para além de todas as medidas mencionadas, há outras que também merecem uma pequena menção neste guia:

  • Investigações como esta da Universidade de Columbia apontam para a capacidade da luz ultravioleta para matar vírus. A Companhia Boeing já está a começar a implementá-las nas casas de banho das suas aeronaves.
  • A AESA recomenda a colocação de um ponto de auto-desinfecção mesmo à entrada do avião, a fim de proporcionar uma camada extra de segurança contra o vírus quando se viaja de avião.
  • É recomendável que se tomem as mesmas medidas de higiene que fora e dentro de uma aeronave. Lava constantemente as mãos, tosse para o cotovelo ou, por exemplo, tentar evitar o contacto com outras pessoas ao fazer fila para a casa de banho do avião.
    Actualmente, só os trabalhadores e as pessoas que podem provar que vão voar podem entrar num aeroporto. Por conseguinte, as despedidas terão de ser feitas no exterior e longe dos outros passageiros.

O que achas de todas estas medidas e protecções? Esperamos ter-te ajudado a ver como é seguro, hoje em dia, voar de avião tomando precauções como estas e que possamos voltar a viajar contigo assim que seja possível. Lembra-te que todas as nossas apólices de seguros de viagem cobrem as despesas médicas, hospitalização, transporte médico e repatriamento em caso de coronavírus. Estamos aqui para cuidar de ti.

 

Texto traduzido por Susana Almeida

Conteúdo Relacionado